Cadastre-se aqui para receber as novidades sobre Cursos, Workshops e Palestras! >>

   
     (11) 98555-8076 / juliablanque@terra.com.br
Tap To Call

Escolha Ser Feliz Hoje

Você conhece o poder da empatia e do afeto?

Júlia Blanque, escritora e consultora comportamental, revela que as pessoas mais felizes são as que se conscientizam que é necessário dar novo direcionamento aos hábitos cristalizados do ego. Pequenas mudanças positivas de comportamento resultam em grandes transformações edificantes! Se você deseja ser feliz, faça esta escolha: Tome atitudes, agora!

 

Porque não somos felizes?

A sociedade atual, na qual vivemos em grandes aglomerados urbanos, nos impulciona cada vez mais a ficarmos distantes de si mesmos, da natureza e das pessoas. São muitas as demandas sociais, o tempo passa numa velocidade jamais vista, com dispersores atuando a todo momento, como imprevistos, demandas inesperadas, trânsito e conflitos nos relacionamentos;  somando-se aos medos e as incertezas, que nos assombram a mente, roubando a felicidade no presente.

É necessário valorizar a empatia e a afetividade, não transferindo paradigmas profissionais para dentro dos lares; cuja função é serem núcleos de relações centradas em sentimentos, e não ambientes destinados à ação e à eficiência. As relações comerciais estão se tornando pragmáticas nos núcleos familiares, criando-se indivíduos focados em relações consumistas; resultando em mais desequilíbrio e violência na sociedade.

Se desejamos a plenitude da paz interior, com harmonia e saúde, precisamos desistir de procrastinar a felicidade para o momento do amanhã, pois o futuro nunca é hoje. É preciso ter atitude: viver e aproveitar o hoje, com tudo o que temos e somos. Não podemos adiar a felicidade para quando chegar o fim de semana, as férias ou a aposentadoria.

A receita é simples! Reveja o seu foco e valorize o que é realmente importante na vida, que, acima de tudo, são os relacionamentos. Por exemplo: o pouco tempo que você tem com seus pais, filhos e cônjuge, deve ser muito bem aproveitado; não para discutir ou criticar, agindo como um caça-defeitos nos outros, entorpecido em hábitos que se traduzem numa insatisfação constante consigo mesmo e consecutivamente, com a vida que o circunda. Fuja deste padrão, não foque nos defeitos e no que falta!

Como ser feliz

As pessoas mais realizadas, em todos os aspectos da vida, não são as que não vivem olhando para o próprio umbigo. São as que buscam compreender o outro, e tem a percepção do que ele está precisando. Compreendem e aplicam conceitos éticos, porque receberam e incorporaram importantes valores no seio familiar desde a infância: dedicação, empatia, compromisso, solidariedade e disciplina. Pessoas felizes “sabem o que têm que dar para poder receber”, afirma Júlia Blanque.

O caminho da felicidade não é o do individualismo e do egocentrismo; mas sim, do companheirismo e da capacidade de poder estar “de bem”, ou seja, estar em sintonia afetuosa, com tudo o que gira ao seu redor. Sem esta habilidade, ─ ter e gerar empatia  ─ , é muito difícil se identificar com pessoas, ter relacionamentos harmônicos e felizes, ser reconhecido no trabalho e ter sucesso.

Ser feliz é exercitar um novo hábito: distanciar-se da ciranda de diálogos internos mentais. É estar com a mente aonde se está executando a atividade deste momento do agora, resgatando o foco no presente. Somente no “agora” encontramos equilíbrio interior, detectarmos os pensamentos negativos, diminuímos as cobranças internas e efetuamos as grandes transformações na vida.

Experimente mudar agora o seu foco mental. Amplie a sua consciência, perceba a sua essência divina e resgate o sentimento de gratidão por tudo que você é e tem na vida. Você se surpreenderá!

Em sua família ─ harmonia e respeito já!

Dedique um tempo exclusivo para dar atenção aos seus familiares. Os filhos crescem rápido  e não ficam conosco para sempre, é sua missão dar atenção e dedicar-se à eles pelo tempo que for necessário. Lembre-se de reservar um espaço na sua agenda para seus pais. Reveja estas situações do cotidiano familiar:

  • Seu  filho o aborda à noite para contar algo ocorrido na escola, logo após o jantar, quando você está descansando e assistindo televisão após mais um longo e exaustivo dia na empresa: ─  “Papai quero te contar… ! “, e você responde: ─ “Agora não, filho! Depois…(pausa) agora estou cansado.”

Estes são “minutos de oportunidades raras” (que não voltam jamais), para seu filho se abrir e estreitar os laços do diálogo. Muitos pais gostariam que seus filhos fossem felizes e tivessem sucesso na vida; contudo, se perguntam aonde foi que erraram quando os filhos ficaram rebeldes, se tornaram delinquentes e ingressaram no mundo do crime e das drogas. Pagam psicanalistas e psicólogos para consertarem seus filhos, mas não têm interesse em mudar suas atitudes; se esquecendo que quando eles precisaram de apoio, valorização e afeto, receberam críticas, encontraram pais ausentes e não tiveram noção de limites. Se você é próximo à seu filho, responderá acertivamente estas questões: Você sabe quais são as séries de televisão favoritas dele? Que roupas seu filho gosta de usar? Que frutas ele gosta de comer? O que ele gosta de ler? Qual a cor predileta dele? Que músicas ele adora? Conhece os amigos dele ou sabe o nome do melhor amigo de seu filho? Conhece a casa dos amigos que ele frequenta ou já conversou com os pais de seus amigos? O que ele gosta de estudar? Tem visitado a escola ou conversado com os professores e amigos dele? Seja um pai ou mãe presente na vida de seu filho.

  • Seu marido quer te contar uma situação do trabalho e você, desinteressada,  diz à ele: ─ “Amor, eu não entendo da sua profissão… agora estou vendo novela, espera chegar o comercial.” 

Muitos casais se esquecem que, se o amor não for reconquistado a cada dia pelo interesse mútuo, com “atitudes de validação”, palavras amorosas, elogios e trocas de olhares, se desgasta, e um dia pode acabar. Reclamações e críticas constantes para que o outro mude, é sinal de que está na hora de voltar a ver os pontos positivos e focar no melhor da relação.

No trabalho ─ felicidade e bem estar 

Seja competente e foque na melhoria contínua. Colabore com os colegas e “trate-os como indivíduos e não como funcionários”. No mundo corporativo, os treinamentos de lideranças têm como foco principal o “saber conviver harmoniosamente entre as diferenças de personalidade e a valorização dos indivíduos”; objetivando, como resultado, profissionais que gostam da empresa e tratam bem os clientes. Que você seja lembrado e valorizado, por ser um profissional de alta performance e em saber se relacionar bem com todos. Se alguém estiver agindo de forma insatisfatória não entre neste clima, seja um exemplo de equilíbrio e proceda com inteligência emocional. Atitudes de alta performance:

  • organize sua agenda com planejamento e foco, priorize “sempre” o que é mais importante
  • trabalhe de forma objetiva e prática
  • busque aperfeiçoamento e mantenha-se atualizado
  • delegue funções à profissionais capacitados na objetivação do resultado desejado
  • seja otimista e promova a motivação
  • trate bem os colegas e subordinados
  • mantenha o ambiente harmônico e leve, através de comentários positivos e construtivos
  • valorize as pessoas, contagiando o ambiente com alegria e satisfação
  • esteja aberto à comentários e permita que o outro possa se expressar

 


Por Júlia Blanque.
Publicado Originalmente na Revista Estilo Fashion, em 20/07/2012.
http://www.revistaestilofashion.com.br/escolha-ser-feliz-hoje/

 

 

Post Tagged with , ,

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>